Picos-PI, 24 de novembro de 2020
Outras notícias

Clarão no céu chama atenção em diversas cidades do Piauí

Clarão no céu – Foto reprodução WhatsApp

Um clarão no céu por volta das 18h, desta segunda-feira(23), chamou atenção de populares em várias cidades do Piauí e do Nordeste. Moradores de Teresina, Picos, Floriano, São Raimundo Nonato, entre outros municípios, filmaram o fenômeno e ficaram intrigados com o objeto não identificado.

Mas, o professor de Física do Instituto Federal do Piauí (IFPI) e estudioso de Astronomia, Ayrton Vasconcelos, que também presenciou o fenômeno, tratou de deixar claro que não era uma nave extraterrestre.

“É uma nave terrestre mesmo. O clarão foi visto entres os planetas de Júpter e Saturno, que parecem estrelas, mas são os planetas e trata-se de um foguete chinês, que foi lançado ontem, indo para a Lua, para buscar materiais para pesquisas aqui na Terra. Na subida, essas máquinas ejetam gases e soltam algumas partes para poderem subir, pode ter sido isso que presenciamos”, explicou o professor.

Ele disse que o Brasil é rota desses foguetes por causa da proximidade com a Linha do Equador e pelo movimento de rotação da Terra. “Por isso a Base de Alcântara é tão privilegiada, por dar uma economia. Mesmo sendo lançado da China, eles buscam a Linha do Equador para conseguir essa economia de combustível, e por estarmos próxima a ela conseguimos observar do Piauí, Ceará, Bahia, Maranhão e os estados do Norte”, destacou Ayrton Vasconcelos.

O professor, que começou a admirar o espaço aos 7 anos de idade, quando o primeiro homem chegou à Lua, conclui: “ainda não foi dessa vez que vimos extraterrestres”.

Veja o momento exato que o foguete foi lançado 

No twitter, o fenômeno foi comentado por vários internautas e o perfil Astronomiaum retuitou as postagens.

Foto: Enviado via whatsapp do portal Cidade Verde

Foguete Chinês
O jornal americano The New York Times publicou uma reportagem nesta segunda-feira (23) falando sobre o lançamento da espaçonave chinesa na superfície da lua. Segundo o jornal, o objetivo da China é ser a primeira nação a trazer de volta rochas lunares e amostras de solo em mais de quatro décadas.
“A missão, chamada Chang’e-5, é a última etapa de um ambicioso programa espacial que a China espera culminar com uma estação de pesquisa lunar internacional e, finalmente, uma colônia humana na Lua por volta de 2030. O lançamento, do site espacial Wenchang na Ilha de Hainan, no sul da China.
Se a viagem de Chang’e-5 à lua e de volta for bem-sucedida, a China será apenas a terceira nação a trazer pedaços da lua de volta à Terra. Os astronautas da NASA realizaram essa façanha durante os pousos na Lua da Apollo, assim como as sondas robóticas Luna da União Soviética, terminando com Luna 24 em 1976. Essas amostras fizeram contribuições importantes para a compreensão da evolução do sistema solar, e os cientistas planetários esperaram ansiosamente pelo dia mais amostras seriam trazidas de volta à Terra”, informou o periódico norte-americano.

CidadeVerde

Deixe um comentário