Picos-PI, 29 de setembro de 2020
Polícia

PF descobre laboratório de dinheiro falso e venda da moeda via Whatsapp no Piauí

A Polícia Federal descobriu um laboratório que fabricava dinheiro falso na região do litoral. Nesta terça-feira (29) são cumpridos quatro mandados de busca e apreensão nas cidades de Parnaíba e São João da Serra. A ousadia era tamanha que em São João da Serra a moeda falsa era comercializada via Whatsapp.

Em Parnaíba, a operação foi batizada de “Pseudeia” com a finalidade de reprimir a produção e comercialização de moeda falsa na região norte.

“A investigação foi iniciada em razão do desmantelo de um laboratório de produção de moeda falsa lastreada em papéis especiais, ocasião em que se apreendeu equipamentos e impressoras de alta tecnologia, cédulas falsas e material indicativo da postagem para outros estados do país”, diz a nota.

A PF informou que foram identificados alguns dos responsáveis pela produção e comercialização de cédulas falsas na região norte do Estado do Piauí, restando para a Operação Pseudeia esclarecer os fatos investigados, identificando os demais responsáveis pelos crimes investigados, bem como o “modus operandi” do esquema ilícito.

Atuaram nas buscas 10 policiais federais, que deram cumprimento a dois Mandados de Busca e Apreensão determinados pelo juiz titular da Justiça Federal em Parnaíba/PI.

Os envolvidos foram indiciados pelos crimes de falsificação de moeda, posse de petrechos para falsificação de moeda e associação criminosa.

A Operação foi denominada “Pseudeia” em referência ao daemon que, na mitologia grega, personificava as mentiras e as falsidades.

Um suspeito de vender dinheiro falso no Piauí está no alvo da Polícia Federal que cumpriu dois mandados de busca e apreensão no município de São João da Serra, interior do estado, nesta terça-feira (29).

O inquérito policial aponta que o investigado estaria comercializando cédulas falsas pelo aplicativo Whatsapp.

“As diligências realizadas identificaram o número do telefone celular utilizado para os anúncios no grupo do aplicativo WhatsApp, bem como que a conta bancária utilizada para recebimento dos valores decorrentes dessa prática ilícita estaria vinculada à agência da Caixa Econômica Federal situada no município de Altos-PI”, informou a PF.

Não há informações sobre prisão. As medidas cautelares cumpridas vão servir para materializar o crime e confirmar a  autoria.

 

CidadeVerde

BANNER FINAL MATÉRIA 01

Deixe um comentário