Picos-PI, 7 de abril de 2020
Piauí

Sul do Piauí não tem leitos de UTI com respirador para paciente de Covid-19

Pesquisa mostra que Sul do Piauí não tem leitos de UTI com respirador para paciente de Covid-19 / Foto reprodução

Um mapeamento realizado pelo professor de geografia Rerisson Costa, da Universidade Estadual do Piauí (Uespi), mostrou a distribuição das Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) no Piauí. Na pesquisa, os leitos estão distribuídos somente em seis cidades e no Sul do estado não existe nenhum com respirador, considerado aparelho necessário para casos mais graves da Covid-19. A Secretaria de Saúde do Piauí (Sesapi) informa que o governo tem ampliado a quantidade de leitos no estado, principalmente após a pandemia do coronavírus.

Segundo o professor Rerisson, os dados foram obtidos com o Ministério da Saúde e são referentes ao mês de fevereiro deste ano. “Nós temos um total de 283 leitos de UTI, considerada apenas os leitos adulto e pediátrico no estado, distribuídos nas cidades de Floriano, Oeiras, Picos, Teresina, Piripiri e Parnaíba. Se comparada com a quantidade de leitos existentes no Maranhão, é uma realidade preocupante, pois o estado vizinho tem muito mais. Nós enfrentamos um fluxo grande da população do interior do Maranhão, que se deslocam para o Piauí”, disse.

O professor também afirmou que são muitos desafios com relação a internação por UTI no estado. “Nem todos os municípios possuem UTIs móveis e temos que ver a situação das estradas que também não são boas, o que prejudica o deslocamento e isso no final das contas põe a vida de muitas pessoas em risco”, informou.

Secretário discorda de dados

O secretário de saúde do Piauí, Florentino Neto, discordou dos dados e informou que o o governo tem ampliado a quantidade de leitos no estado, principalmente após a pandemia de coronavírus. Segundo ele, existiam 250 leitos públicos de UTI até início do ano.

“Nesse mês de março implantamos 50 novos leitos somente na rede pública, porque estamos disponibilizados nos hospitais regionais 25 leitos de estabilização. A expectativa é implantar mais 100 leitos nossos próximos meses”, frisou.

Florentino destacou que o estado aguarda receber equipamentos, entre eles, respiradores, no entanto, a demora estaria na grande procura no mercado pelos aparelhos.

Informações do G1

BANNER FINAL MATÉRIA 02

Deixe um comentário